quarta-feira, dezembro 26, 2007

Castelo de areia vira edifício


Bom, hoje vou aproveitar este espaço para colocar um ponto de reflexão sobre a vida... não sei quantos de vocês fazem um "balanço do ano" e refletem sobre tudo que aconteceu, o que querem continuar no ano que vem e o que aprendeu com o que deseja superar neste ano que termina.

Algumas pessoas ficaram surpresas quando falei que foi um ano muito bom, vi olhos arregalados, alguns até um pouco raivosos pois não consideram que o seu ano foi tão bem.

Vou dar créditos e copiar aqui um artigo da revista idéias deste mês que trouxe uma página sobre o Psiquiatra Içami Tiba, já vi diversos artigos e visões sobre o que é a felicidade, o sucesso é ser feliz, o segredo do sucesso... "o segredo" enfim... sou um cara bem racional, e gostei do que li, segue:
"Castelo de areia vira Edifício" - Içami Tiba
" A Felicidade total não existe. Ser feliz é aprender a superar a frustração e avaliar a vida pelos 80% de satisfação "
O que você faria se ganhasse a Mega Sena?

Este devaneio que lhe traz uma sensação gostosa, quando organizado, vira sonho que, planejado, se transforma em realidade.Mas você jogou? Se sim, sua chance é de um entre 50 milhões de apostadores.

Se não, tudo vira areia...

Devaneia-se ser rico, imagina de quanto você vai precisar... Se o teto for tão alto que seria humanamente impossível você atingir, você fracassará. Não perca tempo com o impossível. Atinja um piso baixo e daí amplie seus horizontes.

Atinja também outros objetivos, como férias, ascensão profissional, curtir mais a mulher e os filhos, frequentar academia etc. Os caminhos são bem próximos.

Transforme seu sonho em projeto, com objetivo e metas, colocando prazo em tudo. Sem prazo, perde-se o objetivo.

Não compre nada por impulso. Assim já se separa o essencial do supérfulo. Venda ou troque por benefícios o que não lhe serve mais. Ser simples é sábio.

Seja mais competente em tudo, poupando tempo e material. Use esta economia para produzir algo que o mercado consumidor queira. O comum, todos fazem. Faça algo diferente ou melhorado que se destaque para o ganha-ganha. Funcione como uma micro empresa dentro de uma grande empresa.

Com tudo isso, além de ser promovido, os concorrentes pagarão pelo seu passe. Você subirá mais em menos tempo.

Tirar férias mede a sua competência. Vender férias é falha de planejamento econômico. Antes de ficar rico, tire férias. Nada paga a sua qualidade de vida. Férias são a base do edifício, a transformação de grãos de areia em concreto.

Filhos e família são investimentos a longo prazo. Você precisará deles um dia. Garanta a companhia deles na velhice, bem melhor do que viver em asilo.


A felicidade total não eiste. Cada grupo ou cada pessoa têm 80% de satisfação e 20% de insatisfação. Ser feliz é aprender a superar a frustração e avaliar a vida pelos 80%. Felicidade não se compra, nem se aluga, nem se herda. Constrói-se dentro de cada um. Preparemo-nos pois no Brasil de hoje existe muita areia no chão dos castelos sonhados e devaneados desmanchados pelo caminho, "pelas dificuldades da vida".

Precisamos de mais edifícios construídos que permitam aos seus moradores uma excelência em qualidade de vida.

Dr. Icami Tiba, psiquiatra e educador, autor de 21 livros. - Extraído da revista idéias - ano 2, n. 14, pag. 50
Esta é o meu convite a reflexão... de vez enquando eu posso né? Tô bem... esse ano fecho nos 90%... nem quero mais se meu ano for perfeito é porque não enxerguei qualquer pedra para aprender com ela no meu caminho! Foi um ótimo 2007 !

segunda-feira, dezembro 24, 2007

É natal

É natal!!


Momento de refletir sobre a doutrina cristã e o nascimento daquele que amou o mundo e deu a vida pela humanidade!!


Feliz Aniversário Jesus!




Em um mundo de tanta guerra, impaciência e ódio, odeie seu ódio... odeie a guerra e odeie a impaciência.


Eu quero paz, paz na vida... no transito, na televisão, em israel, na palestina, no Rio, em SP, no Brasil, nos EUA, até pros Argentinos... paz para todos, paz em seus corações.

É o meu desejo para presente neste natal, eu quero paz!

Feliz Natal a todos!

uhuu.. Birthday!


Cheguei aos 25...

Apesar dos poucos cabelos, não me sinto velho... tão pouco sábio ao ponto de dar conselhos...

Porém com minha idade, com minha origem, me considero um vencedor. Esse ano foi um ano muito bom, de muitas alegrias e muita luta, isso dá ainda mais sabor de vitória em minha vida.

Mais uma vez só tenho a agradecer, a Deus e a minha família, claro que sem meus amigos, que tanto me ajudam, me amparam não estaria aqui...

Soprei as velhinhas e fiz um desejo... que o ano que vem seja ainda melhor!

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Queimada Grande




Semana punk, correria, stress, festa de final de ano, ressaca, cansaço, casamento de amigos... merecia um prêmio...


O despertador rasgou o silêncio da noite as 5:30 da manhã, tinhamos ido dormir as 2... , previsão do tempo era sol, tudo arrumado, 5:40 já estavamos prontos. 5:50 dentro do carro e saindo... abastecemos e descemos a serra... o Yuri foi dirigindo, encontramos o Kauê no meio do caminho, que legal... foi uma surpresa irmos todos.

Descemos a serra e chegamos rapidamente a marina, já estavam todos lá, marcão, Katia, lorenzo, cinthia, e nós, esbaforidos, carregando nossas coisas, engulimos um reforçado café da manhã, já tinhamos começado a comer no caminho, particularmente deixei o discurso de macho de lado e tomei um dramim....

Pega tudo, experimenta as coisas, carrega pro barco, paga... sai correndo, num demora.. um discurso de stress no barco e a despedida de 2007.

Dentro da lancha pacific, todos a bordo... uhuuu... disseram que a visibilidade estava ótima ontem... beleza, vamos nessa... o céu é só uma promessa estamos nessa e vamos nessa direção... papos sobre o tempo, todos falaram que ia abrir, mas até o momento não tinha nada de sol...

Desci pra cama dentro da lancha e capotei... fui dormindo a maior parte do caminho, quando acordei, quem tomou dramim tava bem, quem num tomou tava azedo(a)... eu agradeci por ter tomado antes... mais meia hora a acordado e chegamos a ilha das cobras, ou Queimada Grande como é conhecida no mundo do mergulho.

Vários barcos de pesca, nem aí para nossa presença ali, apesar de ser perto da laje não é patrimonio e a pesca é permitida.

Foram duas horas de meia de barco até lá e a expectativa era grande.

Ajeitei o equipamento e pumba caí na água, fizemos um mergulho em 4 Yuri, eu... a Sá e a Dani. Foi legal, descemos no naufrágio Tocantins, afundou em 1963, ou 68, não se recorda o marcão.


Assim que descemos apanhei para acertar a flutuabilidade e fiquei parecendo um ioiô, quando me acertei, já tinha ido 100bar pro saco. Chegamos ao tocantins... Passamos pela caldeira, pelos motores, foi lindo... mas tinha pouca vida, poucos peixes, mas tinha budião, Frade, donzelinha... bacana, visibilidade de 20 metros, o que está lindo para a costa de SP.Na parte funda, as meninas não vieram, o ouvido da Sá pipocou e ela não veio, desci com o Yuri, demos a volta no naufrágio... curtição, vacilei e iii.. o ar tá acabando... voltamos, subi com 10 bar... tomei um ralo do marcão, ouvi um discurso da Dani, o mínimo aceitável é 50, se acontece alguma coisa você já era... bla bla bla.. eles tinham toda a razão, mas eu queria curtir o mergulho pô... aquele naufrágio estava lindo.

No Intervalo de superficie a Sá estava grogue, tomou um plasil pro enjoo... e derrubou ela, que amarelou pro segundo, detonei uns lanchinhos e a lancha de uma voltinha na ilha... daqui a pouco, pumba de novo, estamos na água, desta vez desci já preocupado com o Ar... acertei a flutuabilidade de cara, o que me fez economizar o ar... fomos dar voltinha, cada formação rochosa linda, cada cardume bacana, bem mais vida que no primeiro mergulho... foi show... curtimos pra caramba. Budião, vários coloridos...Estava tranquilão, a Dani achou uma moréia bacana, roxa com pintinhas brancas... muito legal... ela saia da toca e mostrava os dentes... eita bicho feio... o Yuri ficou preocupado com meu ar (que estava economizando pra caramba), me chamou tentei sinalizar que ainda tinha 150, não consegui, mostrei o manometro, ele entendeu... tinha mais ar que ele, que já é profissional... fiquei feliz, minha economia estava danto certo...Mais algumas voltas, e a Dani se agitou... fui ver o que era... ela tinha avistado um caragueijo, mas quando cheguei ela derrubou o lastro e tive que socorrê-la... ela subiu feito uma bexiga... peguei o lastro e tentei nadar até o Yuri, nada... enchi o colete e fui capengando, reparei no ar, 110 bar... pedala, pedala, pedala, e quase nada de sair do lugar, nossa. como aquele troço pesava...

Enfim, cheguei ao Yuri, ele olhou pra mim e perguntou, é seu? Respondi não, é da sua namorada, ele entendeu que sinalizei que era dele... viu que o dele estava na cintura... nao entendeu, apontei pra Dani que parecia um sapo lá na superfície, ele pegou o lastro e foi até ela... até prender e amarrar, descemos novamente, já estava com 80 bar, e na rota de volta ao barco...

Paramos embaixo do barco e subi com 60bar... ufa... mostrei orgulhoso o manometro pro

Marcão, que tinha aprendido a lição.


Mergulhei igual gente grande... fiquei feliz quando me elogiaram, que fui mais que 10, fui 20 no segundo mergulho... eu era só sorrisos.

Mais alguns lanchinhos e voltamos, duas horas e meia, fiquei batendo papo com o Kauê na proa do barco até chegarmos, cheguei quadrado a são vicente... embora não tivesse sol, quando cheguei, estava muuuuuuito queimado, vermelho pimentão, triste.. minha careca estava ardendo muito.

Voltei no carro do Kauê, em 10 min conversando eu capotei, dormi até a hora que ele encontrou a Isadora, passei pro banco de tras e dormi novamente, acordei na hora da Pizza, foi legal... batemos papo como nos velhos tempos, pizza boa, massa fina e bem passada... show...

Mergulhar é bom, mas precisa de boas companhias, e desta vez eu tive!

Fui !

Essa foto aí é do naufrágio Tocantins que fizemos, mas o crédito da foto não é da nossa turma não é do site: http://sites.mpc.com.br/luciano/queimada.htm

quarta-feira, dezembro 19, 2007

Cara de sorte



Dizem que a felicidade não é chegar lá... que é a maneira como encara o caminho até "lá"!
Bom, essa casinha aí vai estar lá um dia, e estou escolhendo acompanhar de perto esse caminho aí, cada tijolo, cada dia, meu sorriso fica mais largo e a casa mais alta.

Tenha certeza que quando o objetivo é alcançado recebemos muitos tapinhas nas costas, ouvimos muitos comentários... é esse aí teve sorte na vida...

Vamos falar sobre sorte, acordar 5:30 da manhã todos os dias e ir trabalhar sorrindo é sorte, pois muita gente vai reclamando.

Agradecer a Deus cada vitória é sorte, trabalhar duro o dia todo, e estudar a noite para melhorar seu próprio trabalho é sorte... conseguir pagar o boleto todo mês, adivinha, é sorte!

Ter você como visitante do meu blog, amigo, alguém que torce por mim, etc... é sorte!!

Enfim, sou um sortudo e feliz filho de Deus! Eu coleciono vitórias!

:)

Obrigado Senhor por toda a sorte e alegria que tenho.

Obrigado por cada tijolo que tem nessa obra aí, pois só é possível por toda sorte que planto, toda sorte que me permite lutar!
Leandro SORTUDO Marçal

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Laje de Santos


Pensando no mergulho do último fim de semana, lembrei que não tinha postado aqui o relato sobre o mergulho da laje de santos...
Por aí vamos:

Era dia 03 de novembro, sábado após o feriado de finados, o tempo estava um pouco frio. No dia anterior (dia 2 feriadão) fui dormir pra lá de meia noite...
O silêncio da noite fora quebrado as 4:30 pelo barulho do despertador, tudo estava pronto, tudo certo, tudo combinado... pulei da cama, sai de fininho para não acordar ninguem. Um beijo na namorada, um abraço morno e com a mala nas costas entrei no carro.

Estarrecido, ancioso... mergulhar na laje, todos recomendaram cautela, a correnteza, o vento, a falta de espaço no barco para um cara grande...
Desci a serra com a companhia do Sir Renato russo... Hoje a noite não tem luar... eu estou sem ela.. já não sei onde procurar... serra abaixo... assim que cheguei a São Vicente o dia estava amanhecendo, assisti o nascer do sol na praia, com garoa, frio e com sono, foi bonito assim mesmo.
Lá na marina Tune II em São Vicente, já estavam se preparando, claro eu também, tá certo que cheguei um pouco cedo, antes até da tia do café... como era muito cedo mesmo, fui me apresentando e perguntando, até conhecer o Luiz, dono do barco Biroska. Até então era somente um contato, pois iria embarcar na Pacific (depois acabei embarcando no biroska porque a Pacific num deu Quorum minimo).
Enquanto me escondia da garoa, pensava na vida, em como havia sido o checkout e como me tornei órfão da Deep Sea, que foi vendida para o Mr. Grace. Por um acaso estavam indo naquele feriado para um lugar que eu gostaria muito de ter ido, arraial do cabo... enfim, fiquei orfão naquela garoa, cai na real de que os bons momentos se foram, peguei somente o finalzinho, mas foram bons.

Aguardara anciosamente pela Katia e pelo Marcão, conheci a Katia e peguei meus equipamentos enquanto o café ficava pronto, antes me fez experimentar uma roupa beeeem apertada que não serviu até pegar a do tamanho correto. Ajudei a levar tudo para a doca, foi quando descobri que iria embarcar na biroska, em seguida chegou o marcão, com seu sorriso maroto, e a expectativa de um bom mergulho, a água está roxinha, quem foi ontem falou que está jóia...

Quando a lancha saiu ainda me ambientando e morrendo de frio, seguimos rumo a laje, 1 hora e meia de água numa lancha rápida, com direito a muito bate-papo e histórias de mergulhador, no caminho... tan-tan-tan-tan... um tubarão... putz, quase chegando a laje e avistamos um tubarão, já tinham me avisado que não havia problemas que megulhando estavamos inseridos no meio natural e não eramos parte da cadeia alimentar do bicho, etc. etc.. mas a verdade é que fiquei borrando de medo.

Assim que chegamos a laje o monitor, Berg... fez um discurso, que era um lugar de preservação pra num levar nada do mar, etc.. ettc.. ok, ok, ele terminou o discurso, e já ouvia o "se equipa, se equipa" - "vai pra água, corre pra água"... cai na água equipado (eu sempre prefiro me equipar na água), mas como já estava enjoado, porque o mar estava bravo e me sentia boiando na água do liquidificador dentro da lancha, cai logo na água... frio pra kct, e eu nem aí... o enjoo estava melhorando.

Trecho sobre o Mar: Quando saimos da costa na marina o mar estava "liso" e sem ondas, ficamos até na expectativa de irmos pro parcel ( um lugar que só dá pra ir se estiver bem calmo), quando entramos no mar aberto, o vento estava a sudoeste, o pior possível, e levantava ondas enormes e por isso ficou bravo quando chegamos lá...
Dentro d'agua, segurando no cabo da poita e olhando para o imenso aquario logo abaixo de mim, estava tudo lindo... eu queria descer logo... tão logo o marcão (meu dupla e mentor), caiu na água ele perguntou, como está compensando? é que a correnteza está forte - justificou, querendo já dizer, desce logo, pois se ficar em cima vai penar...

Esvaziei o colete e entrei naquele mundo maravilhoso... realmente a correnteza estava forte, fiquei bem atrás do barco, sendo que desci bem abaixo... após pedalarmos muito, chegamos ao pondo exato do mergulho na ponta da laje, o marcão sinalizou, você viu a tartaruga?? Estava doido pra ver as tartarugas da laje, tinha confessado isso... mas estava tao concentrado em não "perder" o ar que não vi... explorando aquele lugar maravilhoso, visibilidade de 20m... coisa linda... já na volta, e com 100bar no cilindro, avistei uma tartaruga enorme, larguei o marcao com o pessoal e subi em busca dela, coisa linda... era uma família... tinha uma pequenininha... ainda atrapalhada... nossa que bacana, estavam na pior parte da correnteza, e fiquei seguindo elas até ser jogado contra as pedras... me assustei, olhei no manometro menos de 80 bar, estava na hora de voltar pra perto do marcão, achei ele, sinalizei que tinha visto a tartaruga, comemoramos, e seguimos de volta rumo ao barco... 52minutos de mergulho e 50 bar no cilindro subimos rápido por causa da correnteza, lá em cima do barco comemorei...

O mar estava ainda pior, batia demais, tive que ir pra proa do barco, comer meus lanchinhos... enquando comia me sentia no "antigo la bamba do playcenter", lutei pra deixar o lanchinho dentro do lugar que havia posto, no estomago, e acreditem, foi uma missão quase impossível.
A garoa apertava e o vento piorava, nosso capitão fora informado pelo radio da marinha que não era seguro ficar lá, pois iria piorar ainda mais. Cogitamos fazer um drift, mas acabamos mesmo abortando o segundo mergulho na laje e voltando mais cedo pra casa, beleza, o primeiro e único valera a pena.

Durante a volta, ondas enormes do estilo cinematográfico, e uma chuvona de deixar qualquer um com frio na barriga... a lancha saia de lado "derrapando" nas ondas... meu Deus... viemos em comboio de lanchas... em quase 2 horas até a marina... assim que chegamos a São vicente o mar estava mais calmo... coisas do destino. Valeu muito a pena, retiramos as coisas, descansei um pouco, coloquei uma roupa seca e subi a serra comemorando.. em SP terra da garoa, sol e calor, que coisa né? Enfim... foi um puta mergulho.
Cheguei em casa, lavei os equipamentos e "capotei"...

Daqui a alguns dias relatarei o mergulho na Ilha das cobras.

abraços,

Leandro Marçal - Orfão da Deep Seea
Ocorreu um erro neste gadget