segunda-feira, dezembro 17, 2007

Laje de Santos


Pensando no mergulho do último fim de semana, lembrei que não tinha postado aqui o relato sobre o mergulho da laje de santos...
Por aí vamos:

Era dia 03 de novembro, sábado após o feriado de finados, o tempo estava um pouco frio. No dia anterior (dia 2 feriadão) fui dormir pra lá de meia noite...
O silêncio da noite fora quebrado as 4:30 pelo barulho do despertador, tudo estava pronto, tudo certo, tudo combinado... pulei da cama, sai de fininho para não acordar ninguem. Um beijo na namorada, um abraço morno e com a mala nas costas entrei no carro.

Estarrecido, ancioso... mergulhar na laje, todos recomendaram cautela, a correnteza, o vento, a falta de espaço no barco para um cara grande...
Desci a serra com a companhia do Sir Renato russo... Hoje a noite não tem luar... eu estou sem ela.. já não sei onde procurar... serra abaixo... assim que cheguei a São Vicente o dia estava amanhecendo, assisti o nascer do sol na praia, com garoa, frio e com sono, foi bonito assim mesmo.
Lá na marina Tune II em São Vicente, já estavam se preparando, claro eu também, tá certo que cheguei um pouco cedo, antes até da tia do café... como era muito cedo mesmo, fui me apresentando e perguntando, até conhecer o Luiz, dono do barco Biroska. Até então era somente um contato, pois iria embarcar na Pacific (depois acabei embarcando no biroska porque a Pacific num deu Quorum minimo).
Enquanto me escondia da garoa, pensava na vida, em como havia sido o checkout e como me tornei órfão da Deep Sea, que foi vendida para o Mr. Grace. Por um acaso estavam indo naquele feriado para um lugar que eu gostaria muito de ter ido, arraial do cabo... enfim, fiquei orfão naquela garoa, cai na real de que os bons momentos se foram, peguei somente o finalzinho, mas foram bons.

Aguardara anciosamente pela Katia e pelo Marcão, conheci a Katia e peguei meus equipamentos enquanto o café ficava pronto, antes me fez experimentar uma roupa beeeem apertada que não serviu até pegar a do tamanho correto. Ajudei a levar tudo para a doca, foi quando descobri que iria embarcar na biroska, em seguida chegou o marcão, com seu sorriso maroto, e a expectativa de um bom mergulho, a água está roxinha, quem foi ontem falou que está jóia...

Quando a lancha saiu ainda me ambientando e morrendo de frio, seguimos rumo a laje, 1 hora e meia de água numa lancha rápida, com direito a muito bate-papo e histórias de mergulhador, no caminho... tan-tan-tan-tan... um tubarão... putz, quase chegando a laje e avistamos um tubarão, já tinham me avisado que não havia problemas que megulhando estavamos inseridos no meio natural e não eramos parte da cadeia alimentar do bicho, etc. etc.. mas a verdade é que fiquei borrando de medo.

Assim que chegamos a laje o monitor, Berg... fez um discurso, que era um lugar de preservação pra num levar nada do mar, etc.. ettc.. ok, ok, ele terminou o discurso, e já ouvia o "se equipa, se equipa" - "vai pra água, corre pra água"... cai na água equipado (eu sempre prefiro me equipar na água), mas como já estava enjoado, porque o mar estava bravo e me sentia boiando na água do liquidificador dentro da lancha, cai logo na água... frio pra kct, e eu nem aí... o enjoo estava melhorando.

Trecho sobre o Mar: Quando saimos da costa na marina o mar estava "liso" e sem ondas, ficamos até na expectativa de irmos pro parcel ( um lugar que só dá pra ir se estiver bem calmo), quando entramos no mar aberto, o vento estava a sudoeste, o pior possível, e levantava ondas enormes e por isso ficou bravo quando chegamos lá...
Dentro d'agua, segurando no cabo da poita e olhando para o imenso aquario logo abaixo de mim, estava tudo lindo... eu queria descer logo... tão logo o marcão (meu dupla e mentor), caiu na água ele perguntou, como está compensando? é que a correnteza está forte - justificou, querendo já dizer, desce logo, pois se ficar em cima vai penar...

Esvaziei o colete e entrei naquele mundo maravilhoso... realmente a correnteza estava forte, fiquei bem atrás do barco, sendo que desci bem abaixo... após pedalarmos muito, chegamos ao pondo exato do mergulho na ponta da laje, o marcão sinalizou, você viu a tartaruga?? Estava doido pra ver as tartarugas da laje, tinha confessado isso... mas estava tao concentrado em não "perder" o ar que não vi... explorando aquele lugar maravilhoso, visibilidade de 20m... coisa linda... já na volta, e com 100bar no cilindro, avistei uma tartaruga enorme, larguei o marcao com o pessoal e subi em busca dela, coisa linda... era uma família... tinha uma pequenininha... ainda atrapalhada... nossa que bacana, estavam na pior parte da correnteza, e fiquei seguindo elas até ser jogado contra as pedras... me assustei, olhei no manometro menos de 80 bar, estava na hora de voltar pra perto do marcão, achei ele, sinalizei que tinha visto a tartaruga, comemoramos, e seguimos de volta rumo ao barco... 52minutos de mergulho e 50 bar no cilindro subimos rápido por causa da correnteza, lá em cima do barco comemorei...

O mar estava ainda pior, batia demais, tive que ir pra proa do barco, comer meus lanchinhos... enquando comia me sentia no "antigo la bamba do playcenter", lutei pra deixar o lanchinho dentro do lugar que havia posto, no estomago, e acreditem, foi uma missão quase impossível.
A garoa apertava e o vento piorava, nosso capitão fora informado pelo radio da marinha que não era seguro ficar lá, pois iria piorar ainda mais. Cogitamos fazer um drift, mas acabamos mesmo abortando o segundo mergulho na laje e voltando mais cedo pra casa, beleza, o primeiro e único valera a pena.

Durante a volta, ondas enormes do estilo cinematográfico, e uma chuvona de deixar qualquer um com frio na barriga... a lancha saia de lado "derrapando" nas ondas... meu Deus... viemos em comboio de lanchas... em quase 2 horas até a marina... assim que chegamos a São vicente o mar estava mais calmo... coisas do destino. Valeu muito a pena, retiramos as coisas, descansei um pouco, coloquei uma roupa seca e subi a serra comemorando.. em SP terra da garoa, sol e calor, que coisa né? Enfim... foi um puta mergulho.
Cheguei em casa, lavei os equipamentos e "capotei"...

Daqui a alguns dias relatarei o mergulho na Ilha das cobras.

abraços,

Leandro Marçal - Orfão da Deep Seea

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget