quinta-feira, dezembro 20, 2007

Queimada Grande




Semana punk, correria, stress, festa de final de ano, ressaca, cansaço, casamento de amigos... merecia um prêmio...


O despertador rasgou o silêncio da noite as 5:30 da manhã, tinhamos ido dormir as 2... , previsão do tempo era sol, tudo arrumado, 5:40 já estavamos prontos. 5:50 dentro do carro e saindo... abastecemos e descemos a serra... o Yuri foi dirigindo, encontramos o Kauê no meio do caminho, que legal... foi uma surpresa irmos todos.

Descemos a serra e chegamos rapidamente a marina, já estavam todos lá, marcão, Katia, lorenzo, cinthia, e nós, esbaforidos, carregando nossas coisas, engulimos um reforçado café da manhã, já tinhamos começado a comer no caminho, particularmente deixei o discurso de macho de lado e tomei um dramim....

Pega tudo, experimenta as coisas, carrega pro barco, paga... sai correndo, num demora.. um discurso de stress no barco e a despedida de 2007.

Dentro da lancha pacific, todos a bordo... uhuuu... disseram que a visibilidade estava ótima ontem... beleza, vamos nessa... o céu é só uma promessa estamos nessa e vamos nessa direção... papos sobre o tempo, todos falaram que ia abrir, mas até o momento não tinha nada de sol...

Desci pra cama dentro da lancha e capotei... fui dormindo a maior parte do caminho, quando acordei, quem tomou dramim tava bem, quem num tomou tava azedo(a)... eu agradeci por ter tomado antes... mais meia hora a acordado e chegamos a ilha das cobras, ou Queimada Grande como é conhecida no mundo do mergulho.

Vários barcos de pesca, nem aí para nossa presença ali, apesar de ser perto da laje não é patrimonio e a pesca é permitida.

Foram duas horas de meia de barco até lá e a expectativa era grande.

Ajeitei o equipamento e pumba caí na água, fizemos um mergulho em 4 Yuri, eu... a Sá e a Dani. Foi legal, descemos no naufrágio Tocantins, afundou em 1963, ou 68, não se recorda o marcão.


Assim que descemos apanhei para acertar a flutuabilidade e fiquei parecendo um ioiô, quando me acertei, já tinha ido 100bar pro saco. Chegamos ao tocantins... Passamos pela caldeira, pelos motores, foi lindo... mas tinha pouca vida, poucos peixes, mas tinha budião, Frade, donzelinha... bacana, visibilidade de 20 metros, o que está lindo para a costa de SP.Na parte funda, as meninas não vieram, o ouvido da Sá pipocou e ela não veio, desci com o Yuri, demos a volta no naufrágio... curtição, vacilei e iii.. o ar tá acabando... voltamos, subi com 10 bar... tomei um ralo do marcão, ouvi um discurso da Dani, o mínimo aceitável é 50, se acontece alguma coisa você já era... bla bla bla.. eles tinham toda a razão, mas eu queria curtir o mergulho pô... aquele naufrágio estava lindo.

No Intervalo de superficie a Sá estava grogue, tomou um plasil pro enjoo... e derrubou ela, que amarelou pro segundo, detonei uns lanchinhos e a lancha de uma voltinha na ilha... daqui a pouco, pumba de novo, estamos na água, desta vez desci já preocupado com o Ar... acertei a flutuabilidade de cara, o que me fez economizar o ar... fomos dar voltinha, cada formação rochosa linda, cada cardume bacana, bem mais vida que no primeiro mergulho... foi show... curtimos pra caramba. Budião, vários coloridos...Estava tranquilão, a Dani achou uma moréia bacana, roxa com pintinhas brancas... muito legal... ela saia da toca e mostrava os dentes... eita bicho feio... o Yuri ficou preocupado com meu ar (que estava economizando pra caramba), me chamou tentei sinalizar que ainda tinha 150, não consegui, mostrei o manometro, ele entendeu... tinha mais ar que ele, que já é profissional... fiquei feliz, minha economia estava danto certo...Mais algumas voltas, e a Dani se agitou... fui ver o que era... ela tinha avistado um caragueijo, mas quando cheguei ela derrubou o lastro e tive que socorrê-la... ela subiu feito uma bexiga... peguei o lastro e tentei nadar até o Yuri, nada... enchi o colete e fui capengando, reparei no ar, 110 bar... pedala, pedala, pedala, e quase nada de sair do lugar, nossa. como aquele troço pesava...

Enfim, cheguei ao Yuri, ele olhou pra mim e perguntou, é seu? Respondi não, é da sua namorada, ele entendeu que sinalizei que era dele... viu que o dele estava na cintura... nao entendeu, apontei pra Dani que parecia um sapo lá na superfície, ele pegou o lastro e foi até ela... até prender e amarrar, descemos novamente, já estava com 80 bar, e na rota de volta ao barco...

Paramos embaixo do barco e subi com 60bar... ufa... mostrei orgulhoso o manometro pro

Marcão, que tinha aprendido a lição.


Mergulhei igual gente grande... fiquei feliz quando me elogiaram, que fui mais que 10, fui 20 no segundo mergulho... eu era só sorrisos.

Mais alguns lanchinhos e voltamos, duas horas e meia, fiquei batendo papo com o Kauê na proa do barco até chegarmos, cheguei quadrado a são vicente... embora não tivesse sol, quando cheguei, estava muuuuuuito queimado, vermelho pimentão, triste.. minha careca estava ardendo muito.

Voltei no carro do Kauê, em 10 min conversando eu capotei, dormi até a hora que ele encontrou a Isadora, passei pro banco de tras e dormi novamente, acordei na hora da Pizza, foi legal... batemos papo como nos velhos tempos, pizza boa, massa fina e bem passada... show...

Mergulhar é bom, mas precisa de boas companhias, e desta vez eu tive!

Fui !

Essa foto aí é do naufrágio Tocantins que fizemos, mas o crédito da foto não é da nossa turma não é do site: http://sites.mpc.com.br/luciano/queimada.htm

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget