terça-feira, dezembro 02, 2008

Declare Guerra!! - Protesto contra a propaganda




(clique na imagem para ampliar)

Pois é...

Não acredite em tudo que vê na TV ou que lê por aí, NÃO ACREDITE em tudo que dizem que faz bem, ou faz mal...

Esse anuncio aí (encontrado no mom´s basement), com um artista famosa que até viveu em terras tupiniquins (http://pt.wikipedia.org/wiki/Janet_Gaynor), dizia que o cigarro protegia a garganta com uma fumaça light... é mole? Antigamente o cigarro fazia bem... (assinado pela "madonna" da época)... e ninguém desmentia não... tinha anuncios até de dentistas (pasmem dentistas!!!) falando bem do cigarro!!

Lendo essas coisas fico a pensar como somos ingênuos em acreditar nas propagandas, nos anuncios criativos de marqueteiros milionários!! ok... a propaganda da "experimenta.. experimenta.. experimenta" foi legal!! Entre tantas outras...

Por causa de propagandas como essa que esta "praga" está irradicada na cultura, disseminada, destruindo pulmões e vidas saudáveis, as nossas, de amigos e parentes.

Me revoltou ouvir minha amiga contando sobre o avô que está mal por causa do cigarro - efizema pumonar -, um senhor bacana que tive o prazer de conhecer...
Em casa não temos cachorro, mas se tivessemos ele fumaria, todo mundo fuma em casa, meus dois irmãos fumam, eu luto contra essa vontade, essa porcaria todos os dias, já fiquei sem fumar durante anos, mas nunca sem ter vontade!! (atualmente estou segurando a onda novamente)

Tudo isso por causa da popularização, culpa dos marqueteiros, os mesmos que elegeram o barbudo que vive do outro lado do atlântico onde a crise não chega!!

Mas isso é assunto para outro post... enfim a vida é assim mesmo, atenção com as propagandas no final de ano... o papai noel não mora no center-norte, se você usar axe as mulheres não sairão te agarrando (eu já experimentei..rs), tampouco se usar close-up irão sair te beijando!!

E o CIGARRO NÃO PROTEJE A GARGANTA!!!



...Chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia!! (...) - Declare Guerra!! (letra abaixo)






Declare Guerra - Barão Vermelho

Vivendo em tempo fechado
Correndo atrás de abrigo
Exposto a tanto ataque
Você ta perdido

Nem parece o mesmo
Tá ficando pirado
Onde você encosta dá curto
Você passa, o mundo desaba

E pra te danar
Nada mais dá certo
E pra piorar
Os falsos amigos chegam
E pra te arrasar
Quem te governa não presta

Declare guerra aos que fingem te amar
A vida anda ruim na aldeia
Chega de passar a mão na cabeça
De quem te sacaneia

Vivendo em tempo fechado
Correndo atrás de abrigo
Exposto a tanto ataque
Você ta perdido

E pra se ajudar
Você faz promessas
E pra piorar
Até o papa te esquece
E pra te arrasar
Nem o inferno te aceita

...Chega de passar a mão na cabeça de quem te sacaneia!!



3 comentários:

Anônimo disse...

Essa discussão sobre se a propaganda cria vontade ou necessidades, se ela é capaz de eleger um candidato ou fazer com que milhares de pessoas doem sangue é tão antiga quanto andar para frente. Na faculdade, havia um professor que dizia que não era Deus, logo não podia criar nada. O que ele podia, e fazia com maestria, era despertar estas vontades nas pessoas. E fazer deste “desperto” uma mágica de vendas. Eu concordo com ele.
Infelizmente, não somos capazes de criar uma vontade, mas somos capazes de dar às vontades, os meios de manifestação.
Por exemplo, o cigarro. Nenhum marqueteiro é capaz de fazer com que alguém fume, ele não pode abrir a boca de ninguém e obrigá-lo a colocar a fumaça para dentro, mas eles são capazes de dizerem que se você quer se sentir livre para viver a sua vida, sem ter que dar satisfação aos outros, mas mantendo a ordem social em que vive, o seu cigarro provavelmente é o “Free. Questão de bom senso”. E eles associam este slogan não a um produto (um canudo de papel recheado de tabaco), mas sim a uma atitude que pode ser “comprada” através de um cigarro. E as pessoas que buscam esta atitude se identificam com este produto.
Outro exemplo? A eleição (e re-eleição) do presidente Barbudo. Ele foi candidato três vezes antes de ser eleito e não ganhou nenhum das duas. Por quê? Porque ele não tinha apelo? Porque o marqueteiro dele não era bom? A propaganda era ruim? Não acredito. É muito comum as pessoas terem em mente o slogan “brilha uma estrela, Lula lá. Nasce a esperança, Lula lá”. O que não o fez ser eleito foi a não identificação do personagem Lula com os eleitores, afinal, uma coisa é o sindicalista ser líder em um movimento, outro é ele ser o seu representante. A parte da população que se identifica com ele era menor do que a necessária para ser eleita. Mas, de repente, ele é eleito. E como isso aconteceu? Bem, uma parte da população, aquela que vinha votando nele há 12 anos iria continuar votando. E a outra se identificou quando ele cortou a barba, passou a falar manso e disse que não ia mais acabar com o que foi feito, mas sim, dar continuidade. Quando ele fez, houve a identificação e ele assumiu o comando aclamado pelo povo.
Em resumo, e sem estender mais os exemplos, não acredito que os marqueteiros criam as necessidades, vontades ou afins. Seria injusto jogar em nós, publicitários, a responsabilidade por alguém ser bêbado, fumante ou louco por sapatos. Esta responsabilidade é de cada um. E é importante que as pessoas tenham consciência disso para comprar os produtos certos, aqueles que as farão felizes. Aos marqueteiros cabem identificar o seu desejo e fazer com que ele seja materializado no produto.
Just it!

Leandro Marçal disse...

Anônimo(a)
Você considera isso que escreveu uma verdade ?

Ao fumar Free você irá se sentir livre para viver a sua vida, sem ter que dar satisfação aos outros, mas mantendo a ordem social em que vive?

Anônimo disse...

Eu não considero, por isso mesmo, eu não fumo! Mas tem muita gente que sim!

Ocorreu um erro neste gadget