quarta-feira, novembro 18, 2009

15 anos de saudades...

Hoje é um dia especial...
Lembrar de você é especial

Não digo como alguém que pudera um dia ter esquecido de sua presença, mas tentar esquecer esta saudade que aperta, espreme meu coração e lembrar de 15 anos atrás.

A vida é corrida, e por vezes me perco no tempo, como os guerreiros que passavam tanto tempo no campo de batalha que não sabiam mais sobre a contagem dos dias, não é pela correria que deixo de pensar em ti, basta olhar para meu coração que neste momento se espreme.

Ao espremer este coração, as lágrimas correm meu rosto. Não tenho vergonha de ter este rosto molhado, e lembro quando era apenas um garoto, e vim saber que quando foi se encontrar com Deus, hoje tento pensar que de certa forma era melhor pra mim, era melhor pra você, acredito que cada um tem um destino e o meu foi crescer ao teu lado, me tornar homem pensando que gostaria de ter você aqui. E naquele dia não me envergonhei de molhar meu rosto.

O que foi bom, o que foi ruim, como seria, o que vivi, o que ainda tenho por viver... não sei exatamente. São coisas vãs e apenas especulações de como seriam situações desta vida dura que é crescer longe da tua companhia e da tua amizade.

Toda vez que penso na palavra, no significado de PAI, me emociono, espremo o coração de saudade e fico com a alma molhada, um lenço de papel pode secar meu rosto, mas não seca minha alma, minha saudade ou meu amor por você.

Em muita gente pai é significado de ausência, em outras pessoas é até um trauma, pra outros sortudos é amor, carinho ou admiração, pra mim o sinônimo é saudade, saudade da tua mão tenra e carinhosa, ao me fazer cafuné quando pulava em teu colo, e daquele teu jeito que jamais esquecerei.

Gostaria que estivesse aqui pra me orientar, me dizer como é certo, e como é errado de tudo que estou vivendo a cada um dos meus dias. Gostaria que me repreendesse nos meus erros, que me levantasse nas minhas derrotas, e que brilhasse seus olhos de orgulho em cada uma de minhas vitórias. Que estampasse teu sorriso ao me apresentar aos seus amigos e encher o peito ao dizer "este é meu filho".

Pai, em 14/11/1994 você foi se encontrar com Deus, e desde então, meu coração fica espremido de saudade. Jamais me esquecerei de teus ensinamentos, e assim como você nunca desistiu de vencer, eu também jamais desistirei. Nestes 15 anos olhei para o céu e chorei muitas vezes, e chorarei por muitas nos próximos 15 anos também, não por tristeza, mas pela mais plena e verdadeira saudade, por sentir e saber que sentirei sua falta, hoje e sempre.

Ainda alguns dias atrás comentei com um amigo de MG de como o jeito dele de falar me lembra você, ele também chama a calçada de "passeio", fala "negoço", e emenda algumas palavras, exatamente como você fazia... por que será que lembro de ti? Só porque é de Itajubá, mineiro, dos olhos claros, que veio tentar a vida em São Paulo? Coincidência? destino? Sei lá... mas fico imaginando as vezes como foi quando você se encheu de coragem e veio pra cá também.

Sem poder te olhar nos olhos, mas podendo olhar para o meu coração agora, tenho uma certeza, que apesar de sua vida ter acabado, meu amor por ti não acabou. O amor é mesmo um sentimento além da vida e da compreensão humana, não quero compreender, e nem tentar explicar, mas tenho a certeza que meu amor por ti é eterno.

Te amo pai, olho para o céu agora, e digo isso com todo sentimento que está dentro de mim.

Leandro Marçal - Sábado, 14/11/2009, há 15 anos daquela segunda-feira.

4 comentários:

Abreutax disse...

é mestre dores que nunca se apagaram do nosso coração...partilho do mesmo sentimento e da mesma dor, por horas escrito de forma diferentes e apenas diferenciados pelo espaço e tempo dos acontecimentos.
Abs
Abreu

Erika disse...

NOSSA LÊ..MTO LINDO...ME EMOCIONEI...SEM PALAVRAS...MTOS BEIJOS

Renato Kimrua da Silva disse...

Parabéns pelo homem que você é; com certeza é espelho do grande homem que te instruiu. Sem palavras pra esse texto. Meus sentimentos, abraços!

Fernanda disse...

Já tem um tempo que tinha lido esse seu texto e só agora "lembrei" de comentar.
Bom , chorei quando li ....e isso signifca que, mesmo que a gente não conheça uma pessoa como não o conheço pessoalmente a gente passa mesmo assim a ter afeto por ela e se emocionar com suas historias de vida.

Beijinhos.

( fernandawafer@hotmail.com)

Ocorreu um erro neste gadget